Você está lendo
Minhas 6 dicas de Gestão de Pessoas e 1 erro que cometi e você deve evitar

Minhas 6 dicas de Gestão de Pessoas e 1 erro que cometi e você deve evitar

André Iaconelli
6 dicas para uma boa gestão de pessoas

O que define um bom gestor? É saber delegar? Reter talentos? Ou dar feedbacks construtivos? Para mim, todas estas características são válidas e importantes. Mas além disso, o bom gestor é aquele que identifica as capacidades e particularidades dos colaboradores e usa sua liderança para motivar os membros da equipe a alcançar seu potencial e chegar mais longe.

As dicas que vou compartilhar aqui são o resultado de experiências pessoais, discussões com outros gestores e inúmeros livros e artigos sobre o assunto que li ao longo dos anos. O mais recente, que me inspirou muito, foi “A Regra É Não Ter Regras”, que aborda a cultura corporativa da Netflix, escrito por Reed Hastings, fundador da plataforma.

Bom, agora vamos ao que interessa. Divido com você minhas 6 dicas para uma Gestão de Pessoas eficiente, e um erro que cometi e você deve evitar. Confira!

1) Desenvolva uma comunicação transparente

A comunicação transparente é fundamental para que você, gestor, possa construir um relacionamento sólido com o seu time. Para alcançar essa sintonia, primeiro aconselho desenvolver um plano de ação que contemple os principais objetivos do negócio, as estratégias, os cronogramas e orçamentos, por exemplo, e compartilhe isto com toda sua equipe. Isso garantirá que todos estejam na mesma página.

Sugiro também que adote canais internos de comunicação, como as redes sociais corporativas, que centralizam a informação e facilitam o acesso às lideranças. Essa iniciativa contribui para uma Gestão de Pessoas eficaz, uma vez que ajuda a otimizar o fluxo de informações, ao tempo em que minimiza os conflitos e os ruídos operacionais.

2) Incentive o trabalho em equipe

Há um provérbio africano que diz: “Se quiser ir rápido vá sozinho, se quiser ir longe vá em grupo”.  O Trabalho em equipe pode parecer mais complicado que o individual; afinal de contas é preciso planejar, delegar e acompanhar, além de obter consenso da sua equipe para atingir os objetivos comuns. Mas tudo isto vale a pena quando sua equipe está motivada e contribuindo com uma grande diversidade de ideias e soluções que alavancam o trabalho coletivo.

Valorizar as habilidades de cada um e incentivar um ambiente onde todos vibrem com as conquistas uns dos outros são algumas atitudes que eu considero mais importantes na Gestão de Pessoas. Pois despertam um profundo senso de colaboração e pertencimento no grupo.

3) Estimule a autonomia dos seus colaboradores

Percebi que incentivar a autonomia das pessoas que trabalham comigo é uma das formas mais eficazes de aproveitar todo o potencial da equipe. Empresas que permitem que os profissionais exponham suas ideias e possam tomar decisões, contam com um time muito mais produtivo, engajado, eficiente e criativo.

Mas faço uma ressalva: para que esta autonomia ajude na evolução do negócio, é importante que todos estejam alinhados com a cultura da empresa, seus processos e rotinas. Também é crítico que haja metas específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e com tempo definido, como sugere o padrão SMART.

4) Crie recompensas para as conquistas do dia a dia

As recompensas nem sempre precisam ser bonificações no salário. Dar feedbacks e elogiar um trabalho bem feito é igualmente importante para manter o engajamento do time nas alturas.

Por exemplo, na Rapicare temos um encontro semanal com todos os colaboradores e todas as semanas elegemos um integrante que se destacou nos últimos dias com alguma contribuição significativa para o todo.

Já está mais que provado que o reconhecimento público por um trabalho é um grande motivador para a equipe. Parafraseando Shakespeare, “nossos elogios são o nosso salário”.

5) Acompanhe o desenvolvimento do trabalho 

Todo líder funciona como uma espécie de bússola, sempre apontando para o cumprimento das metas. Reuniões periódicas com feedbacks sobre o trabalho em desenvolvimento são essenciais para indicar que o colaborador está no caminho certo ou precisa corrigir a rota.

Mas cuidado para não sufocar! Se você conta com pessoas competentes e alinhadas aos objetivos do negócio, pontue o que for necessário e deixe o trabalho evoluir, caso contrário você corre o risco dos seus colaboradores perderem o senso de responsabilidade pelo negócio.

6) Invista em tecnologias 

A inovação tecnológica veio para ficar e cada vez mais as ferramentas que digitalizam e automatizam os processos operacionais serão incorporadas às rotinas de trabalho. No entanto, ainda percebo uma cultura de resistência muito grande em relação ao digital, e isso acontece tipicamente por dois motivos:

Primeiro: os sistemas utilizados até então ou não cumprem o papel de facilitar a rotina das equipes, gerando frustrações e descrédito, ou são caros e difíceis demais de implantar. Segundo: a crença de que as ferramentas digitais irão tornar as pessoas obsoletas, levando alguns a temer pela relevância da equipe dentro da organização.

Veja também
Por que fazer uma boa gestão da cadeia de suprimentos

Para o primeiro ponto, a boa notícia é que o mercado, esse organismo vivo e em constante desenvolvimento, já conta com soluções digitais acessíveis e fáceis de usar, que centralizam as informações e automatizam boa parte dos processos do dia a dia.

O que nos leva ao segundo ponto: ao assumir parte do trabalho manual e repetitivo, a tecnologia diminui a incidência de erros e otimiza o tempo dos colaboradores, que poderão direcionar sua energia para pensar em soluções menos reativas e mais preventivas e estratégicas para o negócio.

Agora… 1 erro que cometi e você deve evitar!

Penalizar decisões erradas tomadas pelos motivos certos

Mesmo com todas as metas bem definidas, com a comunicação alinhada e com as pessoas mais capacitadas e talentosas fazendo parte da sua equipe, uma hora ou outra uma decisão equivocada será tomada.

Mas no começo da minha jornada como gestor, eu tinha grande dificuldade em lidar com os erros. Eu era inseguro e sentia que além de prejudicar a empresa, os erros ecoavam as minhas falhas como gestor e profissional.

Percebi que meu comportamento estava se refletindo na minha equipe, que evitava tomar riscos por medo de falhar.

Com o passar do tempo entendi que uma decisão errada pode até gerar uma perda para a empresa, mas ela é fundamental para que possamos aprender e crescer. E mais importante de tudo: poder arriscar para alcançar objetivos ambiciosos e arrojados.

Afinal, nenhuma conquista é possível sem riscos. Então, corra riscos e incentive que o seu time faça o mesmo. Só assim vamos evoluir, não só como gestores mas como pessoas também.

Gostou das dicas sobre Gestão de Pessoas? Então aproveite para ler o artigo sobre como atrair e reter talentos na área de compras.

Todos os direitos reservados. Rapicare SA ® 2019